sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Parece cartão postal e só a 45 minutos de Manhattan












Acho que uma das coisas que mais surpreendem as visitas aqui em casa são as muitas opções de passeios fora de Nova York
Para aproveitar a beleza do outono, seguindo o conselho de uma amiga, fomos visitar a Stonebarns Center num dia de semana. O centro fica a 45 minutos de carro de Manhattan mas precisa de um GPS ou o velho mapa de papel para não se perder.

       A estória do centro agrícola é bem diferente das fazendas que estão abertas nessa época para a colheita de maçã. Eles não produzem nada em grande escala e tudo o que é produzido ali é usado para consumo no restaurante ou no café da propriedade. O objetivo do centro é educar e criar consciência sobre a importância do cultivo sustentável e de desenvolver novas técnicas de agricultura.
       Além do café, o Stonebarns tem um restaurante com 2 estrelas do Michelin comandado pelo chefe Dan Barber. Ele é dos granes cheges que apoia o movimento farm to table que nada mais é da horta para mesa sem muitos intermediários e comida seguindo as estações do ano.
       O centro agrícola oferece visitas guiadas mas como nós estávamos com criança pequena entao optamos por pegar um mapa e sair caminhando.


            Visitamos o galinheiro, as estufas com muita variedade de verduras e legumes outonais (vários tipos de couve, mostardas, cenouras e batatas). Há tambem uma criação de ovelhas para leite e carne. É como estamos na época do dia de Ação de Graças os perus também estavam prontos para o abate.
            Achei a proposta muito interessante e ver o que você compra no supermercado de perto me fez repensar muito sobre desperdício e a quantidade de proteína animal que eu consumo. A energia despendida em criar um animal para nosso consumo é imensa e quando compramos o frango ou a carne na bandeja de isopor no supermercado muitas vezes esquecemos que a carne moída já foi um boi que demorou muito para crescer e que demandou o trabalho de muitas pessoas.
            Como fomos de dia, o restaurante Blue Hill não estava aberto (só funciona para o jantar) e comemos no café. A comida deliciosa, as pessoas muito simpáticas e bem contentes de trabalhar no centro.



            A beleza do centro parece ter saído de um editorial da revista da Martha Stewart. Tudo com aquela carinha de painel do Pinterest. Até as folhas de outono e a cor envelhecida da madeira combinavam.

            Foi um passeio muito legal. O Kenzo conheceu pessoalmente alguns animais, ja que em NYC ele soh conhecia pombos, esquilos e ratos.


quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Verão acabando em Nova York e eu dando as caras por aqui

Já peço desculpas e aproveito para tirar a poeira do blog. 

Ontem fui a um lugar que já fazia tempo que estava na lista de lugares para visitar. Apesar de viver aqui há 6 anos não me canso de ser turista na minha cidade.

O Carrossel da Jane era um desses lugares que nunca dava tempo de ir, mas agora com o filho já com idade suficiente para encarar um carrossel eu me animei, pulei no metro e fui até o Brooklyn.




A estória do carrossel tem todos os elementos da alta sociedade daqui. Aquela competição de quem doa mais dinheiro e quem tem seu nome gravado para a posteridade. Por alguns milhões de dólares você pode ter seu nome em uma ala do Metropolitan, ter um playground no Central Park ou até uma passarela no parque High Line. Mas a Jane Walentas foi além. Ela tem o seu próprio carrossel.E de lambuja o carrossel tem vista para o skyline de Manhattan e fica dentro de uma caixa de vidro projetada pelo arquiteto Jean Nouvel. O carrossel teve um trabalho de restauração de muitos anos e foi contruído em 1922 na Philadelphia e era atração de um parque em Ohio. 


Seu marido David é um dos responsáveis pela revitalização da área do Brooklyn Bridge Park e com a sua ajuda compraram o carrossel e resolveram restaurá-lo e doar para a cidade. 

O lugar é lindo, a vista imperdível e diversão garantida.  

Acho que ela sambou na cara da sociedade. 



O ingresso com cara de vintage. Muito carinho com os detalhes.

E foto do filho contente #mãecoruja



Jane's Carousel
Localizado no bairro de DUMBO no Brooklyn Bridge Park. Dá para chegar de metro pelas linha F - laranja, A e C - azul e 2 e 3 - vermelha.







terça-feira, 27 de maio de 2014

Mais um docinho francês no pedaço.

Acho que um assunto recorrente por aqui são as padarias. Meu fraco por carboidratos tem relação direta com o fato que toda semana querer visitar uma nova padaria/confeitaria diferente. 
Mas NYC não decepciona. Novidade é o que não falta. 


Seguindo os passos do Abrindo o Bico fui conhecer a Canelé by Celine. A Celine é advogada e cansada da vida corporativa, resolveu vender os doces que ela sempre presenteva os amigos. Depois de elogios de alguns amigos chefs de cozinha ela resolveu abrir a loja. 

Uma portinha no finzinho do Upper East Side. Para quem não sabe esse finzinho tem outro nome - Yorkville.




Eles servem canelés, financiers, croissants e café. Tudo super fofo, com muitas formas de cobre de canelé espalhadas pela loja. 

Vários sabores como caramelo, baunilha, pistache, laranja, chocolate e limão. E também sabores salgados como parmesão e chorizo espanhol. 


Ideal para um lanchinho. A textura borrachenta não me agradou muito. Talvez eu não tenha o paladar para esses docinhos tão amados na França.


Mas achei a loja uma graça e recomendo para quem quer experimentar algum doce diferente, porque
NY vai muito além de cupcakes. 

400 East 82nd street entre 1st e York ave. em Yorkeville


segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Mais uma iguaria belga chega em por aqui

Meu conhecimento sobre culinária belga não é muito vasto. Além dos famosos chocolates, bata fritas, waffles e cervejas eu confesso que sou bem leiga no assunto.

Em outubro quando li no New York Times a abertura da O Merveilleux eu corri para conhecer a novidade. Minha sorte ou azar é que a loja fica muito pertinho de casa.





A loja é uma graça com uma mesa coletiva e para sentar comer, tomar um café e conversar. Achei um clima de Le Pain Quotidien (rede belga deliciosa) e a decoração em amarelo dá um charme extra. Por causa da obra interminável do metrô da Segunda avenida - aqui também tem obra NUNCA acaba, A loja fica um pouco escondida na Segunda avenida entre as ruas 78 e 79 no Upper East Side.


A especialidade são os merengues recheados de chantilly e cobertos com chocolate. Eu adoro chocolate branco e não resisti e levei um para casa.






O doce é doce na medida certa. O merengue bem seco e aerado. O creme chantilly com um pouco de acúcar e o chocolate amargo quebra um pouco do dulçor.






 O Merveilleux
1509 Second Ave entre 78th e 79th street
Upper East Side, NY 10075





sábado, 28 de dezembro de 2013

Bar de macarrão ou macarrão no bar?


O conceito de confort food sempre é muito relativo. Para mim a comida que me conforta é um arroz branco soltinho com carne moída refogada e bem temperada. Já na cabeça do marido isso tem cara de comida de cachorro. 
Já li várias listas sobre as top 10 comidas  que confortam e para o americano o macarrão com queijo está sempre presente nessas listas. 
Já vi muito marmanjo babar pelo macarrão com queijo que vem na caixinha azul da Kraft. Claro que o macarrão deve ter alguma substância radioativa para ter aquela cor, mas enfim cada um tem um gosto diferente. 
Aqui em NY eu já provei alguns Mac and Cheese maravilhosos. Feitos com macarrão de grano duro italiano, molho bechamel e muito, mas muito queijo. 
O do Balthazar é uma bomba calórica que vale cada grama de gordura ingerida. Mas o Balthazar sempre anda lotado e na hora da fome e da pressa existem outras alternativas. 
 
O Mac Bar também fica no Soho, um portinha ao lado do restaurante Delicatessen. São dos mesmos donos mas o Mac Bar é uma opção para comer rápido ou levar para viagem. 




As porções são super fartas padrão USA. O prato pequeno deu para matar a fome e ainda sobrou para levar. 
 
Eu fui de macarrão com cogumelos e o marido de strogonoff. 
Tudo delicioso, quentinho, cremoso e com queijo para todo lado. 
Os preços são ótimos e para 2 pessoas mais bebida gastamos menos de 20 dólares. 



Mac Bar
54 Prince Street entre Mulberry e Lafayette no Soho
http://macbar.net/

terça-feira, 19 de novembro de 2013

Loja de brinquedos que gente grande adora.

Antes do Kenzo nascer o que mais gostava de fazer era explorar outros bairros aqui em NY. No dia a dia eu acabo ficando no meu bairro mesmo, indo nos mesmos restaurantes e nas mesmas lojas. Então nos meus dias de folga eu sempre me forço a sair da toca e ver coisas diferentes.

Nessas andanças na região do Flatiron achei essa loja de brinquedos. Claro que não é uma mega store como a Toys R Us, não tem uma roda gigante no meio da loja, mas também não tem uma multidão de pessoas tentando a atenção do vendedor.

A Kidding Around tem 2 lojas em Manhattan. Uma na rua 15 entre a Sexta e Quinta avenida e outra dentro da Grand Central Station.


Acho ideal combinar passeios de compras com comidinhas e o Flatiron é sede do must go Eataly e do Madison Square Park - mais conhecido como o parque com fila para o Shake Shack.

Adorei a variedade de brinquedos de outros países e de marcas menos conhecidas. 


A variedade de Playmobil é de deixar qualquer um louco. Eu me segurei para não comprar usando meu filho de desculpas, porque meu brinquedo favorito sempre foi montar as casinhas do Playmobil com o meu irmão.

 

A loje tem muitos brinquedos de madeira, sem a necessidade de pilhas e baterias.  Bonecas de pano de todas as formas e cores. Os fantoches de pelúcia fazem muito sucesso com as crianças menores.



Mas o mais legal da loja foi o atendimento. Vendedores atenciosos que não empurram nada, que entendem de criança e que tem paciência para te mostrar várias coisas até você achar o presente ideal. 

Não vejo a hora de voltar, mas acho que o filho fica em casa senão é prejuízo na certa.


Kidding Around
60 W 15th street entre 5th e 6th ave. 

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Pra quem não quer fazer piquenique no parque.


Na minha opinião não tem programa mais legal do que fazer piquenique no Central Park. Você compra várias comidinhas gostosas no Dean Delucca ou no Whole Foods, leva uma esteira e se joga no Great Lawn. Eu adoro ficar jogando conversa fora, ler um livro e até tirar um cochilo.

Mas o Central Park tem um restaurante bem legal. Como minha família(mãe, tia, avó e irmão) veio paparicar o Kenzo na primavera aproveitamos para passear e visitar novos restaurantes. 

Quando li sobre o Central Park Boathouse sabia que minha avó ia adorar. A localização é perfeita. No meio do parque com vista para o Columbus Circle. A ainda tem um lago de brinde. 


Essas imagens são da primavera, mas garanto que agora no outono o parque vai estar até mais bonito.

A vista é melhor que a comida. Nós pedimos crabcakes, NY Strip e steak salad. Achei tudo gostoso, mas nada extraordinário. A sobremesa também não deixou lembranças. Um bolinho de chocolate quente com sorbet de chocolate. Já comi melhores. 



Geralmente quando o restaurante é ok eu nem quero postar, mas adorei a vista, o serviço também muito gentil, inclusive quando chegamos com uma carrinho de bebê e acho que vale a visita para o brunch no sábado ou domingo. Porque a cesta de pães estava ótima e tomar café com uma vista dessa não tem preço.

Participação especial do Kenzo e do tio Dani 

The Loeb Boathouse Central Park
Fica na altura da rua 74 na East Drive pertinho da fonte Bethesda
http://www.thecentralparkboathouse.com/